Aprenda a compor uma decoração afetiva

Aprenda a compor uma decoração afetiva

Escrito por Alinea Urbanismo | 09.04.2021

Você não precisa de móveis caros para ter uma casa linda e aconchegante. O segredo está em decorar usando elementos afetivos, como fotos, móveis antigos, lembranças de viagem ou relíquias de família. Principalmente objetos que tragam um toque da sua alma para o espaço, aumentando a sensação de pertencimento no lar. Com isso, toda vez que você olhar para algum detalhe o sorriso de uma lembrança boa naturalmente irá se abrir.

Dessa forma, não há restrições quanto ao que pode ser utilizado em uma decoração afetiva. Afinal, cada item, por menor ou maior que seja, carrega em si uma história particular e intransferível, que desperta boas recordações. Como é o caso de louças de família, uma cristaleira antiga ou até mesmo um toca-discos herdado dos avós.

Além disso, especialistas são unânimes em destacar que a harmonização de objetos vintage com contemporâneos torna a decoração mais interessante. Troca de estofados de uma cadeira, puxadores de uma cômoda, tecidos ou pintura nova, já fazem toda a diferença no visual. E como decidir quais elementos vão compor a decoração nem sempre é uma tarefa simples, eles também indicam que cada ambiente seja trabalhado de maneira personalizada.

Nos quartos, por exemplo, invista em peças que trazem memórias e sentimentos mais íntimos para quem dorme ali. Já na sala de estar, a dica é apostar em escolhas que representem as memórias da família e do coletivo. Outro local que merece uma atenção especial é a cozinha, o coração da casa. Capriche na criatividade e vá além dos imãs na geladeira. Pode trazer xícaras e pratos que já fazem parte da sua história, por exemplo. Ou que fizeram parte da vida de pessoas queridas.

Para te inspirar e ajudar nessa missão, separamos algumas dicas de como montar uma decoração afetiva na sua casa. Confira:

Móveis ou objetos herdados 

Inclua na sua decoração aqueles móveis e/ou objetos que estão na sua família há gerações. Assim, as mobílias antigas podem trazer recordações da infância na casa de parentes e são de melhor qualidade, como qualquer item encontrado em um antiquário.

Fotos 

Nada mais acalentador do que ver a imagem de quem a gente ama todo o dia.  Sendo assim, selecione imagens de diferentes períodos da vida, desde a infância até o momento atual, e coloque em porta-retratos ou molduras nas paredes.  Escolher fotos com familiares e montar um mural é, sem dúvida, uma maneira de acertar na decoração afetiva.

Brinquedos da infância

Muita gente tem brinquedos de quando era criança guardados. E eles também podem fazer parte de um projeto de decoração afetiva. Basta caprichar na limpeza do item e se preciso faça o conserto. Além disso, solte a criatividade na hora de harmonizar a peça, carregada de sentimentos, carinho e boas lembranças, com os demais objetos do ambiente.

Lembranças de viagens ou de ocasiões especiais 

Outro item que aquece o coração são as lembranças de viagem. Impossível visitar um local pela primeira vez e não trazer um souvenir. Nem que sejam canecas, chaveiros, imãs de geladeira ou quadros.

Invista nos detalhes

Não se apegue somente a objetos e móveis. Invista também em detalhes como cores e papéis de parede, da mesma forma que materiais como vime e madeira, e até mesmo texturas. Tudo que te remeta algo de bom pode entrar no projeto, como cheiros característicos de uma época ou da casa de alguém, por exemplo. Compre a essência e perfume sua casa. 

E como a pressa é inimiga da perfeição, não tenha urgência em finalizar o processo. Mais do que apenas escolher os objetos que irão compor os ambientes, aproveite o momento principalmente para entender como cada cantinho pode ser usado a favor da rotina dos moradores.

Por

Alinea Urbanismo


Localizada na cidade de São José, na Grande Florianópolis, a Alínea Urbanismo trabalha para transformar mercados e levando, para as regiões de seus empreendimentos, urbanização e uma nova dinâmica.

contato
Dicas

Varanda aberta ou fechada, qual a melhor?

Escrito por Alinea Urbanismo | 30.04.2021

Dicas

Vale a pena empreender desde o terreno?

Escrito por Alinea Urbanismo | 23.04.2021

Desenvolvido por wid.studio